Interreg Sudoe - Programa Interreg Sudoe

Como funcionam as convocatórias?

Um projeto pode receber um cofinanciamento do Programa Interreg Sudoe apresentando-se numa convocatória de projetos que abre o Programa durante o período 2014-2020.

Está previsto que o Programa atual abra cinco convocatórias de projetos e cada uma delas será composta de duas fases: uma primeira simplificada e outro completa.

Devido à finalização da primeira convocatória de projetos, o programa prevê abrir a segunda convocatória a projetos no primeiro trimestre 2017. O Secretariado Conjunto publicará mais informação sobre as condições e o calendário da segunda convocatória em outubro de 2016.

Que entidades podem ser beneficiárias do Programa?

Os projetos devem estar organizados por uma parceria transnacional. Esta parceria deve incluir pelo menos beneficiários de três Estados-Membros da União Europeia que participam no Programa Interreg Sudoe. 

Os membros da parceria devem ser organismos públicos, privados com ou sem fins lucrativos e empresas, à exceção das grandes empresas, situados na zona elegível do Programa Interreg Sudoe.

As regiões elegíveis são: as seis regiões do Sudoeste da França, todas as Comunidades autónomas espanholas exceto as Ilhas Canárias, as regiões continentais de Portugal, o Reino Unido (Gibraltar) e o Principado de Andorra.

Poderá consultar aqui o Programa de Cooperação do Programa Interreg Sudoe na sua íntegra e um resumo do programa de cooperação para os beneficiários potenciais:

   

O dossier de candidatura

A proposta formal de um projeto é efetuada apresentando um dossier de candidatura.

Os formulários e os documentos necessários para apresentar o dossier de candidatura devem ser preenchidos e enviados através da aplicação informática eSudoe que o Programa coloca à disposição dos potenciais beneficiários. O dossier de candidatura deverá também ser enviado por correio postal ao Secretariado Conjunto.

O dossier deverá ser redigido, para ambas as fases, nos idiomas dos beneficiários que formam parte do projeto, para permitir a instrução das candidaturas por parte de cada Estado-Membro.

A PRIMEIRA FASE

A primeira fase da convocatória de projetos consiste na apresentação de uma “proposta de projeto”, onde deve estar claramente descrito:

  • A pertinência do projeto (lógica de intervenção): uma definição clara da problemática territorial comum tratada pelo projeto, o enfoque seguido para tratar a mesma e o valor acrescentado da cooperação transnacional.
  • Os principais resultados esperados, detalhando a vinculação entre os objetivos e os resultados do projeto, com os objetivos e os resultados esperados do Programa.

Consulte aqui o modelo da proposta de projeto

A SEGUNDA FASE

A segunda fase, válida para os projetos que superaram a primeira fase, consiste na apresentação de um formulário de candidatura completo.

Encontrará o formulário da segunda fase no kit de candidatura.

Como apresentar uma proposta de projeto?

Tanto na primeira como na segunda fase, as propostas de projeto devem de ser submetidas a um duplo envio, respeitando o prazo estabelecido no texto da convocatória a projetos.

  • A versão eletrónica em todas as línguas da parceria, deve sser enviada através da aplicação informática eSudoe.
  • A versão em suporte papel, na língua do beneficiário principal e sem encadernar, enviada por correio por carta registada ao Secretariado Conjunto.

Reunião Técnica sobre a segunda fase

O Secretariado Conjunto organisará uma reunião técnica entre a primeira e a segunda fase de cada convocatória a projetos, para a qual serão convidados os portadores de projetos que tenham passado à segunda fase.

O objetivo deste evento è de tratar de questões técnicas da apresentação da candidatura, assim como, certos pontos de conteúdo para melhorar a qualidade das propostas.

Tabela explicativa sobre os critérios de admissibilidade na primeira e segunda fase

Com o fim de evitar confusões aos potenciais beneficiários, o Secretariado Conjunto preparou uma tabela explicativa sobre o que se entende como “dossier de candidatura” e as partes que o compõem tanto na primeira como na segunda fase da convocatória, assim como, a sua relação com os critérios de admissibilidade.

Pode realizar o download da tabela clicando aqui.

Mais informação

Para mais informação sobre a elaboração e a gestão de projeto, consulte o nosso Guia Sudoe (actualizado 07/07/2017). 

Utilize a nossa bolsa de projetos para publicar a sua ideia de projeto ou procurar parceiros.

Poderá aceder através deste link a toda a informação relativa à primeira convocatória.

Este link irá conduzi-lo ao calendário das próximas convocatórias a projetos previstas.

Se deseja conhecer as atividades de informação e de comunicação disponíveis para os potenciais beneficiários, consulte a seção ferramentas para os potenciais beneficiários.

Lógica de intervenção do Programa Interreg Sudoe: